1 de abr de 2013

Polícia Civil faz procedimento de crime contra idoso no local onde estiver a vítima

A Delegacia de Proteção ao Idoso (DPID) da Polícia Civil, unidade vinculada à Diretoria de Atendimento aos Grupos Vulneráveis (DAV), já realiza procedimentos e coleta de depoimentos no local onde o idoso vítima de violência estiver. Com um computador conectado à internet e uma impressora portáteis fornecidos recentemente pela Delegacia Geral, a equipe procede a abertura de inquérito, assim que constata crime contra idoso na apuração de denúncia.

“Se a pessoa idosa não tiver condições físicas de ir à Delegacia para que seja ouvido em depoimento, no próprio local a gente já faz o procedimento, ouvindo o idoso e todos os familiares”, explica a delegada Rosana Rojas, titular da DPID. Ela ressalta que, dessa forma, o procedimento policial fica mais rápido e agiliza a tomada de medidas para garantia dos direitos da pessoa idosa.


Os crimes contra idosos mais recebidos pela DPID são o desvio de proventos financeiros, como pensão e aposentadoria; a humilhação e o maus-tratos. Em maior parte, os autores dos crimes são membros da própria família da vítima ou ainda vizinhos. Segundo a delegada, desde o dia 18 de fevereiro deste ano, quando assumiu a direção da DPID, já são mais de 20 procedimentos instaurados para apurar crimes contra idosos, na Região Metropolitana de Belém.

A Delegacia de Proteção ao Idoso recebe denúncias anônimas por meio do fone 181 (Disque-Denúncia), para apuração. “Em média, apuramos de três a quatro denúncias por dia”, assevera Rosana Rojas. Para tanto, salienta a delegada, os policiais civis são enviados até o local onde o idoso estiver.

O trabalho de investigação conta com apoio da equipe de assistentes sociais para avaliação imediata da situação do idoso. Conforme a titular da DPID, pode-se inclusive solicitar ao Poder Judiciário as chamadas medidas protetivas à vítima, nos casos de risco à vida do idoso, de abandono, de maus-tratos e de ameaças de morte. “Já tivemos três solicitações de medidas protetivas de pessoas idosas desde que assumi a Delegacia”, afirma Rojas.

Em maio, a DPID vai ganhar uma viatura descaracterizada (sem identificação visual de carro de Polícia) para prestar um atendimento com mais comodidade para a pessoa idosa. Pessoas com mais de 60 anos são consideradas idosas pela Lei 1.074/03, que instituiu o Estatuto do Idoso. São pessoas com direitos especiais previstos na Constituição. Nos casos de agressão ou violação dos direitos dos idosos deve-se fazer a denúncia. Se for abandono ou maus-tratos, primeiro o cidadão deve ir à Delegacia de Polícia mais próxima e em seguida ao Ministério Público, além de procurar as entidades de defesa dos direitos humanos.

Serviço:

A Delegacia de Proteção ao Idoso (DPID) fica na rua Avertano Rocha, n° 417, entre Travessas São Pedro e Padre Eutíquio, Cidade Velha, Belém, na sede da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe). O atendimento é de segunda à sexta-feira, em horário comercial. Informações pelo telefone: (91) 3222-7564, ou via internet, no endereço eletrônico dpid@policiacivil.pa.gov.br. Denúncias de crimes contra idosos, 24 horas, pelo fone 181 (Disque-Denúncia).

Texto:Walrimar Santos - Polícia Civil

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Itaituba: Lancha com excesso de passageiros é impedida de viajar

Pelo menos 15 passageiros foram obrigados a descer da lancha Expresso Torpedo III, na hora da partida, nessa sexta feira (15), no termin...

PortalBuré

Portal Buré © 2016. Tecnologia do Blogger.