11 de jul de 2013

Polícia Civil indicia acusadas do golpe "Boa Noite Cinderela"

A Polícia Civil indiciou em inquérito, na tarde de ontem, em Belém, duas mulheres acusadas de envolvimento no golpe conhecido como "Boa Noite Cinderela", que consiste em dopar a vítima com uma substância química, como remédios ou drogas ilícitas, para furtá-la. Neste caso, a vítima foi um empresário, da cidade de Itaituba, sudoeste do Pará. O crime foi registrado, em 30 de junho deste ano, quando ele teve saqueados um cordão de ouro; uma pulseira também de ouro e um telefone celular avaliado em R$ 1,8 mil, após sair de uma boate no município.

As duas acusadas - Priscila Pinheiro Lobato, 25 anos, e Shirley Kelly Magno Corrêa, 37 - foram apresentadas, na Seccional Urbana da Cremação, por policiais civis do Núcleo de Inteligência da Polícia Civil, após serem detidas em uma agência bancária, na capital paraense. Com elas, foram apreendidos R$ 4 mil em dinheiro e o telefone celular subtraído do empresário, em Itaituba.

Segundo o delegado Alexandro Napoleão Sant'Ana, diretor da 19ª Seccional Urbana de Itaituba, responsável pelo inquérito criminal do caso, Priscila e outra mulher identificada pela indiciada como Cláudia Costa estiveram na cidade de Itaituba, no último final de semana de junho, onde aplicaram o golpe, na saída de uma boate. Elas conseguiram dopar o empresário para saquear objetos de valor. Logo após o crime, explica o delegado, a vítima procurou a 19ª Seccional para registrar o boletim de ocorrência.

A partir da comunicação do crime, a Polícia Civil passou a investigar o paradeiro das acusadas em Itaituba, até conseguir identificar uma conta bancária em nome da acusada Priscila Lobato. "De posse dos dados, foi possível rastrear a movimentação financeira pelo Estado, o que culminou com a detenção dela, numa agência bancária, em Belém", detalha o delegado. Ainda, conforme Alexandro Napoleão, Priscila e Shirley foram detidas pelo investigador Márcio Nascimento, do NIP (Núcleo de Inteligência Policial) e interrogadas na Seccional Urbana da Cremação pelo delegado Aldo Botelho, titular da unidade policial.

Ao policial civil, Priscila Lobato confessou ter furtado o telefone celular da vítima juntamente com a comparsa Cláudia Costa, mas negou ter pego as jóias do empresário. Priscila já responde a outros três processos criminais pelo mesmo tipo de crime, que já vem sendo praticado por ela desde 2005. Já Shirley Kelly, que acompanhava Priscila, foi flagrada de posse do telefone celular furtado do empresário em Itaituba. Assim, Shirley foi autuada pelo crime de receptação culposa, em um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). O telefone e a quantia em dinheiro foram apreendidos e as investigações prosseguem visando localizar a outra cúmplice, Cláudia.

Priscila e Shirley foram liberadas ao final dos depoimentos. Priscila vai responder processo criminal por estelionato. De acordo com o delegado Alexandro Napoleão, Priscila e Cláudia são suspeitas de fazer outro empresário vítima do mesmo golpe, na cidade de Santarém, uma semana antes do crime cometido contra o empresário de Itaituba. Segundo o delegado, a outra vítima fez contato com a Seccional de Itaituba para relatar o crime em que duas mulheres foram às autoras do golpe. O caso também será investigado em Itaituba.

Fonte: Policia Civil/Pará

Nenhum comentário:

JURUTI: Promotoria ajuíza Ação contra 14 reús no caso “mensalinho de Juruti”

A promotoria de Justiça de Juruti ajuizou Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa em face do ex-prefeito municipal, três ve...

Postagens mais visitadas