18 de ago de 2015

Justiça suspende atividades de mineradora em Jacareacanga

Essa foto foi tirada em 2012, em uma das pias que tem no garimpo Ouro Roxo: Foto Anderson Tadeu Pantoja 


A Justiça Federal determinou que a mineradora Ouro Roxo suspendesse as atividades na Área de Proteção Ambiental Federal (APA) Tapajós, situada na vila São José, zona rural de Jacareacanga, no sudoeste do Pará. Caso descumpra a decisão judicial, a mineradora poderá ser multada em até R$ 5 mil por dia de descumprimento. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (22). OG1 tenta contato com a Ouro Roxo. Assinada pelo juiz federal Rafael Leite Paulo, a decisão liminar foi comunicada na última quinta-feira (18) ao Ministério Público Federal (MPF), autor da ação juntamente com o Ministério Público do Estado (MPPA), e é baseada em uma série de irregularidades no licenciamento ambiental do empreendimento. Entre as irregularidades apontadas pelo MPF e pelo MPPA estão a desconsideração dos impactos socioeconômicos à comunidade tradicional da região e o desrespeito ao direito de preferência para concessão do garimpo a essa comunidade.
A Justiça Federal também determinou que o Estado do Pará suspendesse todos os procedimentos administrativos de licenciamento em nome da mineradora e do seu representante legal. Caso a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) renove ou modifique as licenças existentes, pode ser multada em até R$ 5 mil diários.
O juiz federal Rafael Leite Paulo determinou também que o Departamento Nacional de Proteção Mineral (DNPM) suspenda a concessão de lavra à mineradora e ao representante da empresa e que analise o pedido de permissão e lavra garimpeira feito pela comunidade da vila São José.

Empreendedoras de Itaituba vencem Prêmio do Sebrae estadual

Por Jota Parente Empreendedoras de Itaituba estão entre as três vencedoras da etapa estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, premiação...

Postagens mais visitadas