18 de jan de 2017

Hospital Regional de Santarém garante tratamento oncológico no interior da Amazônia

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, mudou a realidade da saúde na região oeste do Pará. Em dez anos, transformou-se em referência para o atendimento de mais de 1,1 milhão de pessoas e conquistou a máxima certificação nacional de qualidade. Com a inauguração do serviço de Oncologia, em 2008, o hospital possibilitou que centenas de pacientes pudessem realizar o tratamento perto da família, evitando o deslocamento para a capital do Estado ou para outros centros.
William Pereira Campos, de 75 anos, foi um dos primeiros pacientes do hospital. Há 12 anos, ele descobriu que estava com câncer e foi fazer tratamento em Brasília. Depois, continuou em Belém. “Hoje, graças a Deus, realizo aqui em Santarém. Eu só tenho a agradecer a este hospital que foi colocado aqui em nossa região, que é muito bom. Todas as vezes que eu venho aqui, vimos a quantidade de pessoas que são atendidas aqui na Oncologia”, conta.
Desde 2008, o HRBA realizou 71.128 consultas oncológicas. Foram mais de 43 mil sessões de quimioterapia e cerca de 130 mil sessões de radioterapia. O parque radioterápico da unidade (conjunto de equipamentos e serviços médico-hospitalares exclusivos para terapia do câncer) entrou em funcionamento em 2010. O Hospital Regional também oferece tratamento para o público infanto-juvenil.
O coordenador do serviço de Oncologia, cirurgião Marcos Fortes, fala sobre o crescimento do hospital e a importância para a região. “O serviço evolui com muita força e hoje é, certamente, o maior serviço dentro do hospital. Se analisarmos que em dez anos não existia nada de Oncologia e que hoje nós temos uma identidade federal, porque somos Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacom), essa evolução foi enorme. É como se tivesse nascido uma criança e hoje, em vez de ter dez anos, tivesse 45 anos de idade. Evoluímos 40 anos em dez”, explica Fortes.
A unidade se consolidou como polo de tratamento oncológico não só do Pará, como do Norte do Brasil. E quem ganha com isso é a população atendida. “A qualidade do hospital surpreende, em atendimento, em limpeza. Não tenho do que reclamar, só tenho que dar os parabéns. São pessoas atendidas de Alenquer, Altamira, Itaituba, Rurópolis, até de Belém e outros estados. E o que a gente ouve é que é um hospital de primeira classe. Nós estamos de parabéns aqui na região do Baixo Amazonas devido a este hospital e a equipe que o administra. Eu só tenho a agradecer”, diz o paciente William Campos.
Tipos mais comuns
Os tipos mais comuns de câncer entre as mulheres em tratamento no HRBA são: colo de útero (34%), mama (26%) e pele (14%). E a faixa etária com maior incidência é de 40 a 59 anos, com 41% dos casos. Mulheres com mais de 60 anos somam 39% das pacientes. Em homens, os mais comuns são: próstata (27%), pele (23%) e estômago (17%). Quase 60% dos atendidos têm mais de 60 anos. Homens de 40 a 59 anos aparecem entre 27% dos pacientes.
O Hospital Regional do Baixo Amazonas foi considerado, em 2016, o melhor hospital público do Norte e Nordeste do Brasil. O HRBA pertence ao Governo do Pará e é administrado, desde 2008, pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. A unidade, que atende casos de média e alta complexidades e é referência em ensino e pesquisa na região amazônica, foi o primeiro hospital público do Norte a conquistar o certificado máximo de qualidade, a ONA 3 – Acreditado com Excelência. 
Por Joab Ferreira

Home Itaituba EM ITAITUBA: "NEGO DRAMA" VELHO CONHECIDO DA POLICIA, FOI ALVEJADO À TIROS NO BAIRRO PIRACANÃ. EM ITAITUBA: "NEGO DRAMA" VELHO CONHECIDO DA POLICIA, FOI ALVEJADO À TIROS NO BAIRRO PIRACANÃ.

Na manhã  desta sexta-feira (20), por volta das 07:30 horas, no bairro piracanã onde "Nego Drama" um velho conhecido da Polici...

Postagens mais visitadas