27 de fev de 2017

Indígenas Munduruku participaram dos desfiles pela Imperatriz Leopoldinense


Indígenas da etnia Munduruku de Itaituba e Jacareacanga, participaram, do primeiro dia de desfile de Carnaval do Rio de Janeiro, na noite de ontem 26, na Marquês de Sapucaí, pela escola de samba Imperatriz Leopoldinense. Alessandra Kurap Munduruku (médio Tapajós) e Valdenir Borô Munduruku (alto Tapajós), além, delas, estava na mesma ala: Antônia Melo - uma lutadora das causas de um Xingu Vivo e Bel Juruna da Aldeia Volta Grande da região do Xingú.
A agremiação carnavalesca foi a terceira a entrar na passarela do samba, pouco depois da meia-noite, após Unidos de Tuiuti e Grande Rio.
Neste ano, a Imperatriz vai desfilou embalada pelo tema Xingu, o clamor da floresta, que fala sobre a natureza, o índio, o rio Xingu, todos ameaçados pela usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.
Além dos Mundurukus as tapuias de Santarém Iza, Maíra e Uirá – mãe, filha e filho – todos com curso superior e lideranças do movimento indígena nacional, também desfilaram na ala Guardiães da Floresta.
No ano passado, a escola ficou em 6º lugar entre as 12 escola do grupo especial do Carnaval do Rio de Janeiro.


Empreendedoras de Itaituba vencem Prêmio do Sebrae estadual

Por Jota Parente Empreendedoras de Itaituba estão entre as três vencedoras da etapa estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, premiação...

Postagens mais visitadas