1 de mai de 2012

MT concentra 60% dos desmates na Amazônia Legal em março, diz Imazon

Jacareacanga está entre os três muncípios que mais desmantaram em Março na Amazônia Legal.

Por: Leandro J. Nascimento/G1 MT

Mato Grosso concentrou maioria dos desmates na Amazônia Legal em março. No acumulado de agosto a março houve redução no total desmastado, de acordo com Imazon (Foto: Assessoria/Ibama)Cerca de 60% dos desmates realizados no mês de março na Amazônia Legal ocorreram em Mato Grosso. O estado ocupou, por mais um mês consecutivo, a posição de número um no ranking que avalia as unidades federadas que mais contribuíram para a derrubada da floresta. No período foram 32 km² desmatados ante um total de 53 km² da Amazônia.

Os números são do Imazon e apontam que juntos os estados desmataram 15% a mais em relação a março de 2011, quando o desmatamento alcançou 46 quilômetros quadrados. Em termos percentuais, o Pará concentrou o segundo maior volume de desmates com 25% (13 km²) e Rondônia outros 9% (5 km²). Amazonas (11 km²), Roraima (1 km²) e Acre ( 1 km²) detiveram os 6% restantes.

De acordo com o Instituto, em março de 2012 a maioria dos desmatamentos (94%) ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante esteve distribuído entre Unidades de Conservação (3%), Assentamentos de Reforma Agrária (2%) e Terras Indígenas (1%) localizadas na Amazônia Legal brasileira.

MT lidera desmatamento em fevereiro na Amazônia Legal, aponta ImazonÁrea desmatada na Amazônia Legal pode elevar produção agropecuáriaPecuária ocupa maior parte de áreas desmatadas na Amazônia LegalOs desmates ocorridos em Assentamentos da Reforma Agrária em março, totalizando 1 km², teve como mais afetados aqueles localizados em Mato Grosso, como os localizados no município de Tabaporã, a 643 km de Cuiabá e Paranaíta, a 849 km da capital.

Ainda em março, os municípios mais críticos no desmatamento foram União do Sul a 689 km de Cuiabá, Jacareacanga (Pará) e Vilhena (Rondônia).

O secretário estadual de Meio Ambiente, Vicente Falcão, destacou que na unidade federada as ações de repressão aos desmates vêm ocorrendo. No entanto, a prática ainda persiste em locais considerados 'pontos isolados'. Somente neste ano, R$ 29 milhões em multas por desmate foram aplicados pelo órgão ambiental entre janeiro a março. “O trabalho é constante, mas temos pessoas que insistem em ficar à margem da lei. Mas os números nos ajudam a nortear as políticas de combate”, citou o representante, ao G1.

Mas ao avaliar o acumulado entre agosto de 2011 a março de 2012, o desmatamento somou 760 quilômetros quadrados, uma baixa de 22% frente o mesmo período do ano anterior quando foram desmatados 969 km².

De acordo com o Imazon, neste intervalo de oito meses o Pará lidera o ranking com 35% do total desmatado. Mato Grosso aparece na segunda posição com 30%; Rondônia 19% e Amazonas 9%. Juntos, aponta o Instituto, os estados foram responsáveis por 93% do desmatamento ocorrido na Amazônia Legal no período. Os estados do Acre, Roraima e Tocantins somaram 7%.


Recuo

Ao mensurar os desmates realizados em agosto de 2011 a março de 2012 o Imazon concluiu que além da queda geral de 22% na Amazônia Legal, o estado que mais conseguiu reduzir sua taxa de desmatamento foi o Acre (63% a menos). Recuo também de 48% no Amazonas, 42% em Rondônia e 16% em Mato Grosso. Na contramão, houve aumento em 175% em Roraima, 120% no Tocantins e 6% no Pará, indica o Imazon.


Floresta degradada

Ainda de acordo com o Imazon, as florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 40 quilômetros quadrados em março de 2012. Representa uma redução de 87% sobre março de 2011 quando foram 298 quilômetros. Na distribuição, a maioria ocorreu em Mato Grosso seguido pelo Amazonas (15%), Rondônia (10%) e Pará (7%).

Nenhum comentário:

JURUTI: Promotoria ajuíza Ação contra 14 reús no caso “mensalinho de Juruti”

A promotoria de Justiça de Juruti ajuizou Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa em face do ex-prefeito municipal, três ve...

Postagens mais visitadas