26 de set de 2012

Funai diz que pousada é ilegal e que índios são explorados.

Ibama fechou local, que atuava sem autorização, entre Mato Grosso e Pará

Por: Katiana Pereira
DA REDAÇÃO

A coordenação da Funai (Fundação Nacional do Índio) em Colíder (650 km ao Norte de Cuiabá), informou, nesta segunda-feira (25), que a Pousada Rio Cururu "explora e ludibria os índios", para conseguir manter irregularmente sua estrutura dentro dos limites da Terra Indígena Kayabi.

A pousada está localizada entre os municípios de Paranaíta (MT), Apiacás (MT) e Jacareacanga (PA), dentro da TI Kayabi, sob a coordenação da Funai.

Na quinta-feira (20), agentes do Ibama desativaram o empreendimento de turismo de pesca, que estava sem licenciamento. A ação faz parte da Operação Soberania Nacional.

Em Colíder, a Funai é coordenada pelo índio kayabi Pitu Yamarô, que negou a existência do documento que autorize o funcionamento da pousada. Yamarô, por estar em período de férias, disse que não estava a par de toda a situação.

Ele é substituído pelo servidor Henrique Camargo. Por telefone, o coordenador em exercício, disse que o que ocorre na região é "um retrato da exploração do trabalho indígena".

“Ocorre que os proprietários oferecem dinheiro e favores aos índios, que vivem em uma situação de vulnerabilidade. Sem dinheiro, sem trabalho na cidade e apoio. Eles possuem a terra, mas não têm como cuidar delas. Hoje não é como antigamente, quando eles viviam apenas da caça e da pesca. Eles não conseguem trabalho na cidade, por dificuldades no idioma e também por preconceito. E acabam aceitando esse tipo de situação; na verdade, eles são explorados. A Funai nunca permitiu a instalação da pousada”, disse o servidor.

O administrador da pousada, Alex Porto, disse que o local funciona há um ano e que possui uma autorização da Funai para atuar dentro da TI.

“Não estamos ilegais, a Funai autorizou o funcionamento da pousada. Temos o apoio dos índios, também. Damos remédios e fornecemos o apoio que o Governo não dá”, disse o administrador ao MidiaNews, por telefone.

Segundo Porto, o empreendimento também conseguiu um alvará de funcionamento, expedido pela Prefeitura de Jacareacanga.

“Temos o alvará, e mostramos toda a documentação para os agentes do Ibama, mas eles não aceitaram e fecharam a pousada. Agiram com truculência com os turistas que estavam aqui, e os multaram em R$ 5 mil, cada um”, disse.

Turismo de luxo

Passar uma semana no meio da Terra Indígena, desfrutar das belezas naturais e pescar uma grande variedade de peixes exóticos não é barato. Segundo o administrador da pousada, o pacote completo, de uma semana, não sai por menos de R$ 58 mil.

Esse valor dá direto ao translado de avião, da cidade de Alta Floresta até a pousada, barcos a motor, balsa, carros off road, hospedagem, alimentação, uma pista de pouso exclusiva.

O administrador ressaltou que os pacotes turísticos são para a prática da pesca esportiva. No site da pousada são valorizados os atributos do Rio Cururu, para a prática do “esporte”.

“O rio Cururu é, sem dúvida, a melhor opção para pescadores esportivos que procuram algo diferente. E é nesse cenário, no afluente do rio Teles Pires, no estado do Pará, que fica a Pousada Rio Cururu.”

“Quem gosta de pescaria com iscas artificiais vai encontrar os melhores pontos de pesca. A água cristalina abriga diversas espécies de peixes: tucunaré fogo, trairão, bicudas, cachorras, matrinxãs, cacharas, capararis, pirararas, jaus e outros. Varias espécies podem ser capturadas no visual! Tão grande como a diversidade é a quantidade de exemplares”.

Segundo a Sema (Secretaria Estadual de Meio Ambiente), o período de defeso da piracema começou no dia 1º de novembro, nos rios da Bacia Hidrográfica do Araguaia, e 5 de novembro de 2011, nos rios das Bacias Hidrográficas do Amazonas e do Paraguai e terminou no dia 28 de fevereiro de 2012.

Nesse período, a pesca foi proibida em todos os rios de Mato Grosso, inclusive, na modalidade pesque e solte.

Parceiro famoso

O site da pousada está registrado no nome de Joel Datena, que é filho do apresentador da TV Bandeirantes, José Luiz Datena. A administração da pousada negou que Joel Datena seja sócio no empreendimento.

Joel seria “apenas um parceiro” na divulgação, por apresentar o programa "Coração de Pescador", transmitido pela Rede Band e pelo canal Terra Viva.

Operação Soberania Nacional.

Agentes ambientais federais do Ibama desativaram a Pousada Cururu, na quinta-feira (20).

A partir de dados fornecidos pelo Deter (Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real) - produzido pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) - ao Centro de Sensoriamento Remoto do Ibama, 17 agentes ambientais em 5 viaturas, com apoio de um helicóptero, se dirigiram para uma área de desmate próximo ao rio Cururu, afluente do rio Teles Pires, dentro da T.I. Kayabi.

No local, os agentes surpreenderam um grupo de oito turistas de Minas Gerais, que foram multados em R$ 5 mil cada um e tiveram seus materiais de pesca apreendidos.

A pousada pertence ao empresário Marcos Moser, residente na cidade de Alta Floresta (a 80 km de Cuiabá), e conta com 12 funcionários e um gerente.

O alvará de funcionamento apresentado, expedido pela prefeitura de Jacareacanga (PA, também está com endereço diverso.

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Vereadores de Jacareacanga aprovam novo Código Tributário e de Obras

A Câmara Municipal de Jacareacanga aprovou nesta sexta-feira (15) os Projetos de Lei do Novo Código Tributário Municipal (CTM) e de Obras ...

PortalBuré

Portal Buré © 2016. Tecnologia do Blogger.