19 de nov de 2012

Índio que fugiu de hospital é achado em pátio de supermercado em Cuiabá

Eurico Munduruku foi encontrado por policial à paisana em estacionamento.
Ele fugiu do Pronto-Socorro da capital após sobreviver a confronto com PF.

Eurico Munduruku

 

A Polícia Militar localizou na tarde desta sexta-feira (16) o índio Eurico Kiurixim Munduruku, de 52 anos, que estava desaparecido há cinco dias em Cuiabá após fugir do Pronto-Socorro da capital pela porta da frente da unidade hospitalar na última segunda-feira (12).

De acordo com a polícia, Eurico foi encontrado por um policial que estava à paisana no estacionamento de um supermercado no bairro Tijucal. Segundo o cabo Antônio Lino, do 9º Batalhão da PM, o indígena não reagiu com a chegada da viatura. “Ele agiu de maneira pacífica quando os policiais e uma equipe da Funai chegaram para resgatá-lo. Ele estava muito sujo e teria andado a pé até a região do Tijucal”, informou o policial.

Ao G1, o coordenador da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Cuiabá, Benedito César Garcia Araújo, afirmou que Eurico será levado, primeiramente, para a Casa do Índio, onde vai se encontrar com um filho dele que deixou a aldeia para localizá-lo. Em seguida, ele deverá retornar ao Pronto-Socorro para concluir o tratamento. “Ele está com uma fratura exposta no braço que precisa ser cuidada. Depois do primeiro atendimento na Casa do Índio ele vai retornar ao hospital”, confirmou o coordenador.

Eurico e mais um outro indígena da etnia Munduruku, identificado como Edvaldo Mores Borô, de 44 anos, foram encaminhados para o Pronto-Socorro de Cuiabá após se ferirem no confronto ocorrido no dia 7 com agentes da Polícia Federal durante uma ação da Operação Eldorado na aldeia Teles Pires, na divisa de Mato Grosso com o Pará. Outros quatros indígenas e mais quatro agentes federais também se feriram. Um indígena acabou morto ao ser atingido por pelo menos três tiros.

De acordo com o técnico indigenista, José Eduardo Costa, que esteve no pronto-socorro, Eurico estava apreensivo. "Uma assistente social disse que ele reclamava que estava mal instalado no corredor e se sentia apreensivo”, disse.

 o G1, a Polícia Federal, via assessoria de imprensa, disse que Eurico não estava detido na unidade e, portanto, podia circular livremente. A assessoria ainda ressaltou que teve conhecimento de que ele tentou fugir no último sábado (11), mas não obteve êxito.

Investigação
A operação Eldorado foi desencadeada para coibir a extração ilegal de ouro em Mato Grosso e outros seis estados. A Justiça Federal expediu 28 mandados de prisão e outros 64 de busca e apreensão. O conflito ocorreu quando os agentes tentavam destruir uma balsa, supostamente, utilizada na extração ilegal de ouro no rio Teles Pires.

Para cumprir um mandado judicial, os agentes da PF utilizaram além de armamento não-letal, armas convencionais. A Polícia Federal abriu inquérito para apurar se o índio morto no conflito foi atingido por um disparo efetuado por um dos delegados que comandou a operação.

Durante as investigações, os agentes federais apontaram a participação de lideranças indígenas no esquema criminoso. De acordo com o superintendente da PF, César Augusto Martinez, a operação vai entrar na segunda fase quando os crimes de lavagem de dinheiro serão apurados.

Nessa fase, os índios serão investigados. Treze índios da aldeia Munduruku, inclusive, vão responder na Justiça pelos crimes de desacato e resistência. Entidades ligadas aos Movimentos Sociais repudiaram a ação e, em uma representação encaminhada ao Ministério Público Federal (MPF) classificaram a atuação da PF como truculenta.

Fonte: G1/MT

 

Nenhum comentário:

Jacareacanga: PREFEITO RAIMUNDO SANTIAGO E VEREADORES ESTIVERAM NA CELPA E COBRARAM INVESTIMENTO DA EMPRESA PARA JACAREACANGA

Cumprindo agenda oficial na capital do estado, o prefeito Raimundo Batista Santiago, juntos com os vereadores, Acélio Aguiar, Rain...

Postagens mais visitadas