Header Ads

CELPA: Alta incidência de raios no Pará requer cuidados da população

Alguns itens da rotina doméstica merecem atenção durante o período de tempestades do inverno amazônico
Além das chuvas intensas, o inverno amazônico também é responsável pela grande incidência de raios. De acordo com um levantamento do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), só nos meses de janeiro e fevereiro de 2018 as descargas atmosféricas contabilizaram mais de 425 mil ocorrências no território paraense. Algumas das cidades mais afetadas foram Conceição do Araguaia, Santana do Araguaia e Redenção. Esse número representa uma redução de aproximadamente 30% se comparando com o mesmo período do ano passado. Durante todo o ano de 2017, foram cerca de 4 milhões de registros de raios no Pará.
Levando em conta os perigos que as descargas atmosféricas representam, alguns cuidados na rotina doméstica merecem atenção. O executivo da área de Segurança da Celpa, Alex Fernandes, explica quais cuidados devem ser tomados durante as tempestades. “É importante não ligar qualquer aparelho eletrodoméstico durante chuvas com raio, as torneiras e chuveiros elétricos também não devem ser usados. E também muito cuidado com as antenas de TV de canais abertos, pois são as maiorescausas de queima de aparelhos. Por isso, desconecte o aparelho da tomada e do fio da antena e jamais tente mexer na antena na hora da chuva”, orienta o executivo.
A elevação térmica em uma descarga atmosférica, que é totalmente imprevisível e aleatória, consegue alcançar até 3 mil graus Celsius em frações de segundos. “Devido a sua natureza devastadora a descarga atmosférica quando tem o ponto de impacto um ser humano, haverá alta probabilidade de eletrocussão devido a passagem de corrente elétrica pelo corpo, podendo causar sérias lesões e até mesmo a morte. Isso também vale para a pessoas que estão próximas a um ponto de impacto”, afirma Alex Fernandes.
Os cuidados ainda incluem evitar qualquer tipo de contato com objeto que possua estrutura metálica, a exemplo da geladeira, fogões, canos, entre outros. Objetos longilíneos e com ponta tendem a atrair os raios, como a vassoura de metal. O ideal é não manusear esse tipo de material em áreas externas enquanto acontecem os temporais. Segundo especialistas, as descargas atmosféricas com maior potência costumam cair antes do início do temporal. Nesses casos, o ideal é procurar um lugar seguro logo que avistar instabilidades.
Normas federais determinam que casas e edifícios possuam proteção contra raios. Alguns aparelhos elétricos também possuem dispositivos que impede a queima. Além disso, muitos dos chuveiros são instalados com aterramento, o que significa que as cargas elétricas excedentes são dispersadas. No entanto, o ideal é esperar o fim da chuva para ligar o chuveiro e outros eletrodomésticos. Além disso, é importante fazer uma manutenção periódica na rede elétrica residencial ou comercial para garantir que as medidas de proteção estejam de forma correta.
INTERRUPÇÕES – A incidência de raios no Pará, também tem sido responsável por uma grande quantidade de interrupções no fornecimento de energia elétrica. Dados da Celpa indicam que entre os dois primeiros meses deste ano, foram mais de mil ocorrências de falta de energia motivadas pelo fenômeno natural. A concessionária reforça que seus canais de atendimento para informar falta de energia são o site (www.celpa.com.br), o aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente em smartphones e tablets, e a central de atendimento que funciona no número 0800 091 0196.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.